CIFA

QUEM SOMOS

O CIFA – CENTRO DE INVESTIGAÇÃO DE FENÓMENOS AEROESPACIAIS – é uma entidade civil, sem lucrativos, que se propõe ao estudo, análise e investigação de fenómenos aeroespaciais (vulgo OVNIs), bem como a divulgação dos seus trabalhos possam contribuir na sociedade portuguesa, para um melhor esclarecimento global sobre a temática inclusa no seu âmbito de atividades nacionais.

 
PRESIDENTE
Nome: Vitor Manuel Almeida Moreira
Data de nascimento: 16/02/1964
Naturalidade: Porto
Função atual no projeto CIFA: Presidente e Investigador

Percurso no estudo da fenomenologia OVNI:

1977 – Editou 4 números da revista portuense “INÉDITO”, pela mão de um grupo de estudiosos do secundário e liceu na cidade do Porto, inserido em várias temáticas (ovnilogia, astronomia,…);

1981 – Ingressou no CEAFI – Centro de Estudos Astronómicos e de Fenómenos Insólitos, do Porto, já na parte final da sua dissolvência;

1984 – Esteve na fundação (não na escritura pública) até 1986 da CNIFO – Comissão Nacional de Investigação do Fenómeno OVNI, do Porto, tendo sido editor em alguns números do seu boletim interno;

1987 – Foi fundador e Presidente (com escritura pública) da APPO – ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PESQUISA OVNI (Porto-Cacém), entre 1987-1996, e diretor da publicação oficial “APPO Boletim”. Realizou no IPJ, em 1993, a primeira exposição fotográfica sobre os OVNI ressaltando o âmbito nacional e internacional. Desenvolveu vários projetos públicos de informação e divulgação que foram relevantes na época, tendo sido honrado por uma vasta equipa de membros com enorme empenho no trabalho que permitiram a execução dos objetivos então divulgados;

2016-2021 – Fundador do projeto CIFA e coordenador do boletim interno “NOTA INFORMATIVA” (Vila do Conde) , estando em curso várias iniciativas programadas no âmbito da investigação, comunicação e formação no estudo civil dos Não Identificados.

 

OBJECTIVOS E MISSÃO

Após muitos anos de divulgação pelos média e alguns grupos civis sempre presentes num passado no quotidiano do cidadão comum, emerge a necessidade de quantificar e analisar dados do fenómeno, que em muitas épocas distantes das atuais, fizeram-se prevalecer sem qualquer explicação racional.

Embora os relatos destes fenómenos habitualmente descritos no âmbito civil e pelos média, nunca tenha sido consagrado numa avaliação por profissionais em Ciências, a nossa convicção passa por reverter este quadro e reformular “as mentes abertas” no que concerne ao apoio e referenciado tema de estudo.

No trajeto realizado mesmo antes da sua fundação oficial da entidade, a preocupação máxima estabelecida no seu quadro de Membros voluntários foi desenvolver aprendizagens, técnicas de estudo e de intervenção, que sejam capazes em Ciência na obtenção resultados práticos sempre na máxima exigência no seu percurso de trabalho no investigador.

Os estudiosos civis  na máxima e total transparência e determinados na procura de respostas face ao desconhecido destas fenomenologias, estão unidos na procura de novos dados nacionais que permitam estabelecer um padrão de conhecimento global, na sua melhor compreensão destas manifestações e de forma pedagógica promover a sua melhor divulgação na sociedade portuguesa.

Nesta realidade para a identificação destes fenómenos aeroespaciais (OVNIs) que ultrapassam diariamente as nossas fronteiras, é confrontado um enorme fosso e resiliência entre o apuramento de tecnologias Físicas, provocando padrões sociológicos e culturais muito adversos, naquela que é conhecida como a História da Humanidade.

 

O NOSSO COMPROMISSO

Incentivar a sociedade civil, comunicação social e demais entidades oficiais (estabelecendo protocolos institucionais) num planeamento e modelo de estudo que possam contribuir num juízo mais fundamentado face às ocorrências nacionais sendo a diretriz prioritária a que nos propomos.

Formar equipas de trabalho em Gabinete e de intervenção no Terreno, são diretrizes a que nos propomos realizar por etapas e localizadas estrategicamente em território nacional.